Downloads
(clique nos ícones p/ baixar)

Mensagens Divinas

e

Pérolas do Avatar

 

Index

 

Página Principal

 

Sathya Sai Baba

 

O Ashram

 

Atividades

 

Galeria de Fotos

 

Vídeos

 

Contato

 
 

 

  Bhagavan Sri Sathya Sai Baba

    Vive hoje na Índia um homem cujas ações e ensinamentos, cuja vida e obra, levaram à adoração de milhões de pessoas em todo o mundo. Cientistas, juristas, empresários, políticos, educadores, artistas, pessoas comuns, são devotos de Sathya Sai Baba e o reverenciam como um Deus em forma humana. Sathya quer dizer verdade, Sai significa mãe e Baba é o mesmo que pai (verdadeiro pai e mãe).

Os devotos de Sai Baba também têm o costume de chama-lo de Swami, que significa Senhor ou Mestre espiritual para os hindus.

    Sai Baba nasceu no dia 23 de novembro de 1926, em Puttaparthi, uma vila remota do estado de Andhra Pradesh, no sul da índia, na família Ratnakar de Sri Kondama Raju, avô de Bhagavan.

A criança divina, Sathya Narayana Raju (chamada de Sathya ou Raju na infância), era o oitavo filho do devotado casal Pedda Venkapa e Eswarama Raju.

Logo após o nascimento do bebê, ele foi coberto com alguns panos no chão. As mulheres observaram que os panos se movimentavam, subindo e descendo de um modo peculiar, como se houvesse algo embaixo. E havia, uma Naja. Mas a cobra não feriu a criança. A Naja é um dos símbolos de Shiva, deus da trindade hindu, deus das grandes bênçãos.

Desde o começo o bebê era o mimo da vila. Quando começou a correr pela vizinhança, já se fazia notar algumas características que o distinguiam de seus jovens amiguinhos. Diferente deles, ele tinha um carinho muito grande para com todas as criaturas humanas ou não. Não suportava causar dor ou sofrimento.

Ele se mantinha afastado de lugares onde porcos, ovelhas, gado e outros animais eram mortos, ou onde os peixes eram apanhados. Quando uma ave era escolhida para servir de jantar, o garotinho corria para ela e a acarinhava contra o peito.

Sathya costumava chegar à escola, juntar as crianças ao seu redor e fazer um ritual devoto (puja) usando uma imagem santa ou uma pintura e algumas flores coloridas apanhadas para este fim. Mesmo que os meninos não quisessem eram atraídos pela cerimônia religiosa em si. Sathya não tinha dificuldade em juntá-los por causa das coisas que algumas vezes ele “produzia” para prazer e ajuda aos companheiros. De uma saca vazia ele apanhava doces e frutos ou se um colega tivesse perdido um lápis ou borracha eles os tirava da saca. Se algum deles estivesse doente, ele trazia “ervas do Himalaia” e dava como tratamento.

Aos 13 anos, Sathya reuniu todos de sua família, exceto seu pai que estava trabalhando. Com um movimento de mão retirou do ar açúcar e umas flores, distribuindo-as entre os presentes. Logo os vizinhos começaram a se juntar em volta dele. Sathya, com um humor jovial “produziu” mais açúcar cande e flores, e também um bolinho de arroz cozido em leite. A notícia de que seu filho estava exibindo siddhis (poderes) diante de uma multidão chegou até seu pai.

De pé, diante de seu filho de 13 anos, bastante irritado e ressentido, Pedda gritou:

- Já é demais! Deve parar! O que você é? Diga-me: um fantasma, um deus ou um louco?

Sathya olhou o pai com a vara erguida e disse firme e calmamente:

 EU SOU SAI BABA!

O pai ficou parado com o olhar fixo no filho enquanto a vara escorregava em suas mãos. Sathya continuou se dirigindo aos presentes.

- Vim para livrá-los de seus aborrecimentos, mantenham suas casas limpas e puras.

Após esse acontecimento, quando foi questionado a provar o que disse, lançou um punhado de flores de jasmim no chão, as quais formaram em letras télugu: “Sai Baba”.

Sathya Sai da escola, pois não era um lugar apropriado para um menino que podia ensinar os professores: de fato vários deles incluindo o diretor, costumavam inclinar-se diante dele.

A ruptura definitiva com a vida estudantil se deu no dia 20 de outubro de 1940. Na casa de seu irmão, onde estava residindo, Sathya jogou fora seus livros e comunicou sua partida. “MEUS DOENTES ME CHAMAM. Tenho minhas tarefas”.

Sathya mantinha um grupo em torno de si por muito tempo com canções. Foi então, que um fenômeno ocorreu ligando-o ao Baba de Shirdi, um santo indiano que viveu de 1838 à 1918. Um fotógrafo chegou para tirar uma foto de Sai. Assim sendo, pediu a Sathya que mudasse de posição pois uma pedra de tamanho considerável iria estragar a composição da foto. Sathya não deu atenção permanecendo na mesma posição, vendo que não iria adiantar, o fotógrafo disparou a câmara. Quando o filme foi revelado, notou que a pedra que obstruía a foto tinha se transformado na foto de Baba de Shirdi. Ambas as formas se encontravam na foto.

Dali, Sai Baba dirigiu-se a Puttaparthi onde começou a reunir devotos; primeiro na casa de seus pais, e mais tarde na casa espaçosa de um discípulo. Contava então com 14 anos de idade.

Sathya Sai Baba, na Revista Sanathana Sarathi de Novembro de 1990, diz: “Os dois corpos são diferentes, mas a entidade é uma só. O primeiro advento foi para REVELAR a Divindade. O segundo para DESPERTAR a Divindade (aos seres humanos). O próximo advento será para PROPAGAR a Divindade.

Os três são: Shirdi Sai, Sathya Sai e Prema Sai. Estas vestimentas são assumidas tão somente para o benefício dos devotos. As pessoas não teriam condições de desenvolver fé no sem-forma a não ser que ELE venha com uma forma. O Divino na forma humana é a preparação para que se compreenda o ABSOLUTO SEM FORMA.”

No dia 6 de Julho de 1963 – Sathya Sai Baba fez a primeira declaração oficial sobre o advento da sua próxima encarnação, como PREMA SAI BABA. Declarou que ELE representará o poder Shakti e que encarnará na linhagem Rishi Bhardway Gotra, que é a mesma linhagem de SHIRDI BABA E SATHYA SAI BABA, no Estado de Mysore, no século XXI.

Perguntaram a Sai Baba: Por que esta missão tem que ser dividida em três (3) encarnações distintas de Shirdi, Sathya e Prema Baba?

“Elas não são distintas. Há total identidade nas três encarnações no objetivo final da missão. Dar-lhe-ei um exemplo: Tome um pedaço de açúcar mascavo. O pedaço inteiro parece doce. Agora, quebre-o em pedaços pequenos. Cada um deles é doce. Quebre de novo os pedaços pequenos em pedaços menores. Você encontrará a mesma doçura. A diferença é de quantidade e não de qualidade. O mesmo acontece com os AVATARES.

As suas tarefas e poderes são diferentes, dependendo das necessidades, do momento, da situação e do meio ambiente, mas eles pertencem e derivam dum único e mesmo Dharma Swarupa ou Corpo Divino.

O AVATAR anterior, Shirdi Sai Baba, colocou a base para a integração secular e deu à humanidade a mensagem de que DEVER É TRABALHO. A missão do presente AVATAR é fazer com que todos reconheçam que, uma vez que é o mesmo DEUS ou DIVINDADE, que habita em todos as pessoas, devem respeitar, amar e ajudar umas às outras, independente de casta, cor ou crença. Assim todo o TRABALHO torna-se ADORAÇÃO. Finalmente, PREMA–SAI, o terceiro AVATAR, promoverá o EVANGELHO de que DEUS, não somente reside em todos, mas que cada um é o próprio DEUS. Esta será a sabedoria final que permitirá a cada homem e mulher evoluir e tornar-se DEUS. Assim, os três AVATARES carregam a tríplice mensagem: TRABALHO, ADORAÇÃO E SABEDORIA.”

Em 1968 Sathya Sai Baba viu que seu país, a Índia, enfrentava uma crise em cada esfera da atividade humana, o que era um obstáculo ao apropriado desenvolvimento da juventude do país. Era uma crise moral e espiritual. Por isso Sai Baba sentiu que o único caminho para ajudar a juventude seria reorientar o sistema de educação indiano para nele infundir uma austeridade moral e espiritual.

O primeiro passo foi fundar o Sri Sathya Sai College, em Anatapur (Andhra Pradesh) para meninas, no mês de julho do mesmo ano. O mesmo foi feito para meninos, em Brindavan, Bangalore (Karnataka), no ano de 1969. Mais tarde, concretizou-se o Sri Sathya College em Prashanti Nilayam.

Em todas estas instituições educacionais foi introduzido o sistema integral de valores orientados à educação, mantendo em vista os cinco valores humanos básicos: Verdade (Sathya), Ação Correta (Dharma), Paz (Shanti), Amor (Prema) e Não-Violência (Ahimsa). Sob a orientação de Sathya Sai Baba, e como resultado do dedicado trabalho dos professores e estudantes por um período de 12 anos até 1980, emergiu uma nova teoria e prática em educação integral, que conduz o homem no esforço para a perfeição nas partes física, vital e emocional, intelectual e espiritual de sua personalidade.

A educação espiritual é combinada harmoniosamente com os campos do conhecimento metafísico, físico e ético. O princípio da Educação em Valores Humanos é ensinar o que se pratica.

Criador do método, Sathya Sai Baba ressalta que os professores devem se familiarizar com os acontecimentos à sua volta e passá-los adiante aos estudantes sob suas responsabilidades.

“Educação sem caráter é como uma fruta sem suco ou como uma vaca que não fornece leite”.

O que quer dizer educação? Educação não é mero conhecimento, é ação. Significa a prática de valores humanos na vida diária. E o que é valor humano? Não apenas palavras: Verdade, Retidão, Paz, Amor e Não-Violência. Estão presentes naturalmente em nós.

Os ensinamentos de Sai Baba atuam diretamente na conduta de seus devotos. Por este motivo, alguns deles ficam mais sensíveis às causas sociais e tentam fazer “sua parte” para minimizar as desigualdades sociais que assolam o mundo e, mais nitidamente na Índia, que é o país mais populoso do mundo e, portanto, vítima de profundos desequilíbrios sócio-econômicos.

 

Hoje, seus milagres desafiam as explicações dos cientistas. Tem demonstrado onipresença, onisciência e onipotência.

Não propõe uma nova religião, mas a transformação da humanidade, continuando cada um a cultuar a Divindade de sua escolha ou tradição.

Seu amor, sua compaixão, sua caridade, suas bênçãos, seus milagres, suas palavras sábias, têm transformado milhões de existências em todos os continentes.

 

OBRAS E PROJETOS DE SATHYA SAI BABA

 

Hospital de Super Especialidades: inaugurado em 1991, está localizado próximo ao ashram de Sai Baba, em Puttaparthi, e oferece atendimento em várias especialidades (oftalmologia, urologia, nefrologia), incluindo complexas cirurgias cardíacas e renais. Possui em média 300 leitos, as pessoas são atendidas por profissionais motivados por valores humanos, espírito de amorosidade e não pagam absolutamente nada pelo atendimento prestado. A excelência do serviço prestado no hospital foi reconhecido pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e especialistas de todo o mundo o buscam para lá atuar e aprender.

 

 Instituto Sri Sathya Sai de Ciências Médicas em Bangalore: inaugurado em 2001, trata-se de outro moderno hospital de super especialidades (cardiologia, neurologia e neuro-cirurgia, dentre outras). O Instituto presta serviços gratuitos, incluindo de diagnósticos, consultas, procedimentos pré-operatórios, cirurgias e atendimento pós-operatório, sem qualquer custo para os pacientes ou suas famílias. Com 333 leitos, possui os mais modernos equipamentos e serviços de laboratório, medicina nuclear, banco de sangue, dentre outros. Os profissionais que lá atuam, buscam servir aos doentes com extrema dedicação e compromisso.

 

Água Potável: o projeto de distribuição de água potável foi anunciado por Sai Baba em novembro de 1994, perante o Primeiro Ministro da Índia, com a colaboração do governo de Andra Pradesh, estado onde estão localizados os Seus ashrans. Beneficia uma população de 3.520.000 habitantes, distribuídos em 20.000 Km², cobrindo 750 povoados que necessitavam de água potável. O projeto de Água Sri Sathya Sai modificou profundamente as condições de vida no distrito de Anantapur, sul de Andra Pradesh, uma das regiões mais pobres e atrasadas da Índia. Nesta região, a falta crônica de água unia-se ao problema da fluorose, doença causada pela contaminação natural com flúor e geradora de grandes deformações ósseas nos habitantes da região. A água que antes trazia doenças, hoje é água para a vida.

 

(Fonte: site Organização Sathya Sai Baba no Brasil)

 

Medicare Van: inaugurada recentemente, trata-se de uma van com equipamentos básicos para atendimento móvel.

 

Para Cima